Pensando um Segundo...

... é lógico que gostaria muito de reverter muitos traços de autismo no meu filho, pois almejo sua felicidade e independência, mas não tenho mais aquela angústia abafada no peito, desesperada por uma cura como se ele fosse um brinquedo com estragos e que eu queria a todo custo consertar. Hoje sou muito Feliz com o SEGUNDO de hoje. Curto cada momento de alegria dele , cada palavra nova, cada pequena descoberta . Acho ele tão doce... ( e marrento também, às vezes). Pelas palavras, na maioria das vezes, faltarem, ele substitui muito por gestos ou puxando minha mão para pegar o que ele quer, mas amo quando ele assiste um comercial ou ver escrito e diz: Mais Você ou “caderão do uqi”, “jorná nacioná”, armazém papaíba ou ainda quando pergunto o nome dele, da irmã, do pai e o meu(é claro) e ele responde rapidinho. E o melhor é perguntar como ele está e ele dizer: “estou apaxonado”. Se ele tem consciência do que fala? Não sei.... Só sei que o amo por tudo que faz e por aquelas que não consegue fazer. Tento não perde nada... nadinha da vida dele, pois, na vida, ele é meu professor.

Enfim como diz Dalai Lama : '' a felicidade é saber curtir o caminho e não só almejar a chegada. "

Abraços

Vilma Candido



domingo, dezembro 6

Hiperatividade. Causa está na mesa, adverte psiquiatra

O médico psiquiatra Juarez Calegaro afirma que aspartame, glutamato monossódico, ômega 6 e outros produtos presentes na maioria de saborosos temperos, reduzem a capacidade defensiva do corpo afetam o cérebro e ameaçam a saúde em geral.

Problemas de linguagem, memória, habilidades motoras e instabilidade emocional. Estes são alguns dos sintomas que afetam milhares de crianças portadoras da desordem conhecida na medicina como déficit de atenção – DDA – e que pode ser, em parte, prevenida e tratada com alimentação correta.
Essa nova visão do tratamento infantil foi apresentada pelo psiquiatra Juarez Calegaro no IV Congresso Internacional de Nutrição Clínica Funcional, na Fecomércio, em São Paulo , dia 13 de setembro.

Excesso que prejudica
De acordo com Callegaro, o consumo excessivo de alguns alimentos, como carboidratos refinados e aspartame, interferem no funcionamento cerebral, matando as células que fabricam neurotransmissores tranqüilizantes, responsáveis por inibir a excitação produzida pelo neurotransmissor glutamato. Em quantidade desproporcional no cérebro, o glutamato provoca os sintomas da hiperatividade.
“O açúcar também estimula a proliferação de cândida, fungo portador de toxinas que bloqueiam a produção de ATP. Essa é a bateria mais usada pelo cérebro para produzir neurotransmissores como o Gaba, cuja função é focalizar a atenção e frear a hiperexcitação psicomotora causadora da hiperatividade” observa o especialista.
O Dr. Calegaro crescenta que essas toxinas intoxicam o pâncreas, diminuindo a capacidade de suas enzimas quebrarem o glúten do trigo, a caseína do leite e as proteínas da soja, elementos que produzem opióides e anfetaminas que geram dependência, excitação e distúrbios de aprendizagem.

Na mesa, inimigos disfarçados
Outro elemento que eleva o estresse oxidativo no cérebro, atrapalhando seu funcionamento normal e ocasionando a síndrome, é o ômega 6. Trata-se de um nutriente presente em margarinas, em alimentos ricos em gorduras hidrogenadas e em gorduras animais, como carne vermelha, salmões criados em cativeiro, galinhas e ovos de granja. Além de agravar os problemas de aprendizagem e a excitação afetiva e psicomotora, o ômega 6 também provoca depressão do sistema imunológico, facilitando o ataque de vírus que retêm chumbo no cérebro e intensificam o problema.
“Hoje, uma em cada quatro crianças tem acúmulo de chumbo no cérebro. Chumbo e mercúrio são retidos também por substâncias produzidas pela soja, pelo chocolate, café instantâneo e, pasmem, pelo famoso espinafre, tido como alimento muito saudável para as crianças”, explica o psiquiatra.
O psiquiatra Juarez Calegaro, que é também autor do livro Mente Criativa, a aventura do cérebro bem nutrido, afirma que a exposição aos elementos contaminadores do meio ambiente como agrotóxicos e metais tóxicos, corantes artificiais e gorduras trans agravam igualmente a hiperatividade. Outros vilões são os alimentos que provocam alergia e os que contêm glutamato monossódico, substância presente em mais de cinco mil produtos salgados, como miojo, molho shoyu e os caldos para temperos.

Cuidados antes da gravidez
É importante ressaltar, no entanto, que não é só a alimentação das crianças que influencia o quadro da hiperatividade infantil: o que as mães comem durante a gravidez e o período de amamentação também faz muita diferença. “Mulheres que desejam ser mães devem fazer o exame de mineralograma capilar e testes de urina seis meses antes de engravidar, para identificar e corrigir caso tenham grandes concentrações desses elementos que geram o distúrbio”, recomenda Callegaro.
De acordo com o especialista, a boa nutrição evitaria 85% das malformações congênitas responsáveis por problemas neurológicos, como autismo e esquizofrenia. Outro cuidado que deve ser tomado é o controle da concentração de fungos no corpo da mãe, já que crianças contaminadas por cândida no parto têm sua imunidade prejudicada e precisam ingerir substâncias antifúngicas por toda a vida.

Trânsito livre para alimentos saudáveis
O psiquiatra lembra, contudo, que há alimentos que combatem os sintomas do déficit de atenção. É o caso de ervas como valeriana e taurina, que agem como calmante através do leite materno. Além disso, é recomendável sempre dar preferência a alimentos naturais e orgânicos, livres de agrotóxicos, corantes e outras substâncias artificiais e altamente prejudiciais ao organismo.
O Dr. Juarez Calegaro conclui afirmando que nos casos graves de hiperatividade, também é possível lançar mão de remédios por curto período de tempo. “Eles são aplicados no primeiro momento e retirados à medida que são descobertas e tratadas as causas mais profundas, relacionadas com alimentação, fatores psicológicos e falta de exercícios e de descanso suficiente”.

domingo, novembro 1

Fiocruz desenvolve exame inédito, e mais confiável, para autismo

Revista veja.com/medicina

O Brasil está desenvolvendo um exame laboratorial inédito para o diagnóstico do autismo, uma alteração caracterizada por isolar seu portador do mundo ao redor. O método promete ser uma alternativa mais confiável aos testes de laboratório hoje usados para identificar a doença. "Ainda estamos em fase de estudos, mas os resultados são promissores", diz o pesquisador responsável, Vladmir Lazarev, do Instituto Fernandes Figueira, centro de pesquisas ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. "Testamos o método em 16 autistas jovens e obtivemos dados homogêneos, muito significativos estatisticamente. Agora, queremos fazer novos testes. A previsão é de que o exame esteja pronto em até cinco anos."
De acordo com Lazarev, cientista russo radicado no Brasil há 15 anos, a vantagem do novo método está no uso da foto-estimulação rítmica. O recurso torna o exame mais completo que outros. Em linguagem comum: durante o já usual eletroencefalograma, projeta-se sobre o paciente uma luz que pisca de forma ritmada, estimulando os neurônios do cérebro a acompanhar no mesmo ritmo. Como o autismo é uma doença do cérebro, a reação deste ao estímulo luminoso pode indicar se ele apresenta alterações que podem se relacionadas à doença.
Os 16 autistas examinados durante a pesquisa, por exemplo, apresentaram deficiência no lado direito do cérebro. Nesta parte, que é responsável pelas habilidades sócioafetivas da pessoa - confira aqui quadro sobre o cérebro -, a atividade elétrica cerebral dos pacientes seguia o ritmo da luz, mas de maneira mais atenuada. "Com isso, podemos concluir que há uma deficiência funcional no hemisfério cerebral direito do autista", explica Lazarev.
Exames como a eletroencefalografia, se empregados com o paciente em estado de repouso, não detectam alteração na atividade elétrica do cérebro. Os resultados, portanto, nem sempre são satisfatórios quando não são empregados métodos de estimulação..Diagnóstico complexo - Os métodos laboratoriais, chamados de métodos de tipo objetivo, complementam o diagnóstico do autismo feito clinicamente, quando o paciente é avaliado por médicos de diferentes especializações: pediatra, neurologista e fonoaudiólogo, além de um psicólogo. Ou seja, isoladamente, o parecer deve sempre ser associado aos exames de laboratório. "A dificuldade em diagnosticar clinicamente o autismo se deve ao fato de a doença, um mal neuropsiquiátrico funcional, ter aspectos parecidos com os de outras enfermidades", explica Lazarev. Daí a importância de um diagnóstico objetivo cada vez mais confiável.
A grande maioria dos doentes - entre 60% e 70% - tem comprometimento da linguagem, em níveis variáveis. O restante - de 30% a 40% - tem linguagem e inteligência normais e, tecnicamente, são chamados de autistas de alto desempenho. Embora sejam iguais aos demais na dificuldade de compreender o contexto em que se encontram, emitem menos sinais da doença, que pode demorar a ser identificada e tratada. Isso é um fator de risco.
Entenda melhor a doença - Segundo Adailton Pontes, parceiro de Lazarev na pesquisa, o autismo é considerado hoje não apenas uma doença, mas uma série de distúrbios de desenvolvimento capazes de comprometer a interação social, a comunicação social e as habilidades imaginativas. "O autismo não é uma coisa única, há várias formas de autismos que variam no grau de comprometimento das funções - mais leve, moderado, mais grave e com níveis diferentes de inteligência", diz o pesquisador.
A base da doença é genética. O papel do ambiente - das influências externas recebidas pelo autista - ainda é desconhecido. "O que se sabe é que a pessoa nasce com predisposição para o autismo e, já a partir dos dois anos pode apresentar os primeiros sinais da doença, como a ausência de linguagem e a dificuldade de brincar", conta Pontes. "O ideal é diagnosticar a doença até os três anos. Está provado que, quando se faz a intervenção precoce, o prognóstico é melhor. Eles não vão se curar, mas vão se desenvolver mais, vão superar algumas dificuldades que os outros podem não superar porque não foram estimulados."
O autismo não tem cura, mas o portador da doença pode tomar remédios contra sintomas específicos, como a agressividade.

quinta-feira, outubro 15

PACIÊNCIA TEM RECOMPENSA

No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem.
Ela disse:
Aquele ali é meu filho, o de suéter vermelho deslizando no escorregador.
- Um bonito garoto - respondeu o homem - e completou: - Aquela de vestido branco, pedalando a bicicleta, é minha filha.
Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha.
- Melissa, o que você acha de irmos?
Mais cinco minutos, pai. Por favor. Só mais cinco minutos!
O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração.
Os minutos se passaram, o pai levantou-se e novamente chamou sua filha:
- Hora de irmos, agora?
Mas, outra vez Melissa pediu:
- Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos!
O homem sorriu e disse:
- Está certo!
- O senhor é certamente um pai muito paciente - comentou a mulher ao seu lado.
O homem sorriu e disse:
- O irmão mais velho de Melissa foi morto no ano passado por um motorista bêbado,
quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com meu filho e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele.
Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa.
Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta.
Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-lá brincar...

Em tudo na vida estabelecemos prioridades.
Quais são as suas?
Lembrem-se: nem tudo que é importante é prioritário, e nem tudo que é necessário é indispensável.

quarta-feira, outubro 7

II Simpósio sobre Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade:

Novos caminhos da avaliação à reabilitação17 de outubro de 2009
UniFMU – Campus IbirapueraSão Paulo – SP
Organização:
MEMC Assessoria em Eventos Médicos e CientíficosComissão CientíficaProfa. Alexa L. SennyeyProf. José M. Montiel
APRESENTAÇÃO DE CASO CLÍNICOENVIO DE RESUMO ATÉ 30/09/2009
Programação 8h00 - credenciamento9h00 – Histórico,  comorbidades, avaliação e questões atuais nos quadros de TDAH             Prof. Abram Topczweski – médico neuropediatra – Hospital Albert Einstein / Associação Brasileira de Dislexia 9h45min – Procedimentos de avaliação psicológica da atenção Profa. Ângela Alfano Campos – psicóloga - UFRJ  10h30min – café  10h45min – Implicações e perfil neuropsicológico do TDAH                       Profa. Sylvia Ciasca – psicóloga - UNICAMP 11h30 - Apresentação de caso clínico        
Coordenadores: Prof. Dr. José M. Montiel –  psicólogo – Universidade AnhangueraProfa. Thais Barbosa – Fonoaudióloga -  NANI/UNIFESP  12h30 – almoço 14h00 - Possibilidades de Tratamento para o TDAH              Prof. César Moraes - médico psiquiatra - UNICAMP / PUC-CAMPINAS 14h45min – Atuação psicológica no diagnóstico do TDAHProfa. Márcia Maria Toledo –  psicóloga – UNIP / UNICAMP 15h30min – Aspectos neuropsicológicos no TDAH: um enfoque nos processos de aprendizagem                     Profa. Cristiana Castanho de Almeida Rocca – psicóloga – Ipq-HC-FMUSP / Universidadesã o Camilo  16h15 – café 16h30min  – Comprometimentos e intervenção na habilidade motora no TDAH                      Profa. Simone Capellini – Fonoaudióloga - UNESP-MARÍLIA 17h15min – A Intervenção psicopedagógica  no TDAH                    Profa. Ana Silvia Figueiral – psicopedagoga - CEREPP-Centro Recuperação Psicopedagógica 18h00 – encerramento * A programação poderá sofrer alterações sem prévio aviso. 
APRESENTAÇÃO DE CASO CLÍNICO
ENVIO DE RESUMO ATÉ 30/09/2009
Durante o II Simpósio sobre Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade: novos caminhos da Avaliação à Reabilitação, teremos um espaço para apresentação de caso clínico. O resumo deverá ser enviado até dia 30/09/2009 para análise  e aprovação pela Comissão Científica.  O resumo deverá ser gerado no aplicativo Microsoft Word, com letras em fonte TIMES NEW ROMAN, tamanho 12 e parágrafo com espaçamento 1. Deverá constar nome do autor; nome fictício do paciente, breve histórico do paciente com conteúdos relevantes da anamnese, exames e testes realizados, contendo ao todo 1 lauda (uma página).O resumo deverá ser enviado, por e.mail, em anexo, para memc@memc.com. br  , no corpo do texto do e.mail deverá conter nome completo do autor e/ou responsável pelo envio e telefone(s) para contato.  Envie seu resumo para memc@memc.com. br Faça sua inscrição acessando o site www.memc.com. br 
TAXA DE INSCRIÇÃO Profissionais – R$ 80,00                 Estudantes – R$ 50,00
Bolsa para alunos da UniFMU (vagas limitadas)Serão considerados estudantes alunos de graduação, especialização, mestrado e doutorado que apresentarem comprovante no ato da inscrição.
Efetuar depósito bancário em nome de MEMC Assessoria em EventosBanco do Brasil S/A – agência 0712-9 – conta corrente 39.733-4Banco Itaú – agência 7781 – conta corrente 00043-0
Após depósito enviar comprovante bancário para memc@memc.com. br ou Fax 11 4242-2296
 Promoção:MEMC Assessoria em Eventos Médicos e Científicoswww.memc.com. br  -    memc@memc.com. brFones: 11 4242-2595  - 11 9547-1579    -  FAX 11 4242-2296 Apoio:UniFMU * A programação poderá sofrer alterações sem prévio aviso.

segunda-feira, outubro 5

Os benefícios da Equoterapia


            De todos os animais, o cavalo é quem tem o número e distância do passo e deslocamento de anca mais parecido ao do homem. Este passo provoca dissociações dos quadris e ombros, rotação e movimentos em quem está montado. A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo na reabilitação de pacientes com necessidades especiais. “O método se baseia na movimentação rítmica e precisa do animal, permitindo o deslocamento tridimensional”, afirmou Dione M. K. Santos, Terapeuta Ocupacional. Dione relata que seu interesse pela equoterapia surgiu quando morou na Itália; depois no Brasil sua formação se deu na Associação Nacional de Equoterapia (ANDE), em Brasília, desde então são mais de 12 anos dedicados a essa área. A prática sobre o cavalo oferece benefícios diretos,como melhora na coordenação motora, melhora na consciência corporal, estruturação espacial e orientação temporal, equilíbrio, flexibilidade muscular, respiração e circulação, melhora a comunicação, memória, atenção, concentração, criatividade e improvisação. “As sessões devem ter cerca de 30 minutos, nelas o paciente montado recebe de 1.800 a 2.200 ajustes tônicos”, revela Dione. Silvia Mara, 26 anos, tem deficiência mental leve e transtorno bipolar, na equoterapia viu uma opção para sua recuperação. Hoje ela trabalha como atendente de uma biblioteca e fala fluente inglês e italiano. “A equoterapia ajudou minha recuperação”, afirmou Silvia. O pequeno Marcelo, 4, tem sequela de paralisia cerebral, e o trabalho com o cavalo proporcionou melhora na sua coordenação, força e direção de movimentos. Dione lembra que para a realização da equoterapia é necessária uma avaliação médica; e são utilizados materiais específicos e os cavalos são apropriados para essa prática. Ela também explica que a equoterapia não substitui nenhuma outra terapia, mas sim acrescenta. História A utilização do cavalo na área de sude é tão antiga quanto a própria história da medicina. Sua origem data da antiga Grécia, onde Hipocrates refere-se a equitação como fator regenerador da saúde em seu livro “Das dietas”. A 1ª guerra foi um fator que contribuiu para o desenvolvimento da equoterapia. Muitos soldados, acometidos com a guerra, foram motivados em sua reabilitação com esse tratamento. A equoterapia foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina em 9 de Abril de 1997, sendo incorporada ao arsenal de métodos e técnicas direcionadas aos programas de reabilitação de pessoas com necessidades especiais. Mais informações: (41) 9188-3929. Áreas de aplicação da equoterapia São diversas aplicações terapêuticas desta modalidade. As principais são as seguintes: Hipoterapia: É a reabilitação de pessoas portadoras de deficiência física e/ou mental que não têm independência para se manter no cavalo sem ajuda. Reeducação eqüestre: Com fins pedagógicos, utilizada na área educativa, indicada em distúrbios de aprendizagem, linguagem, déficit de atenção, hiperatividade, etc. Pré-esportiva e esportiva: É um trabalho direcionado para atendimentos em grupos individuais, como objetivo de inserção na sociedade, através da equitação. O passo, trote e galope contribuem na organização espacial, equilíbrio, lateralização, concentração e coordenação motora grossa ou fina.                 

II CONGRESO BAIANO DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA


II CONGRESO BAIANO DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA
III FÓRUM INTERNACIONAL PARA PESSOAS COM SURDOCEGUEIRA E DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA SENSORIAL

SALVADOR -BA, 02 A 04 DE DEZEMBRO DE 2009


ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES : www.educacaoinclusiva.ufba.br


PARTICIPE !

2o. CONGRESSO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL



19 E 20 DE OUTUBRO DE 2009 INFORMAÇÕES: www.abt-br.org.br

A Associação Brasileira de Tecnologia Educacional realizará na cidade do Rio de Janeiro, nos dias 19, 20 e 21 de outubro de 2009, o seu Congresso Internacional, tendo como tema central "Impactos Sociais da Tecnologia Educacional".
As inscrições já se encontram abertas e há condições especiais para as reservas feitas até o dia 10 de setembro.

O segundo Congresso de Tecnologia Educacional da ABT encontra-se estruturado com quatro conferências internacionais e dois painéis de políticas públicas para as áreas de educação e ciência e tecnologia, sendo complementado por sessões de posters e seis cursos de aperfeiçoamento profissional.
A programação completa, inserida na página eletrônica da Associação, possibilita uma visão geral sobre os Impactos Sociais da Tecnologia Educacional.

terça-feira, setembro 15

Colaborem e divulguem

O Eng. Hugo Barbosa está a frequentar um mestrado em Engenharia Informática no Instituto Superior Técnico do Porto, Portugal. Está a fazer uma pesquisa para a sua tese de Mestrado que se intitula: “Análise do recurso a novas tecnologias no ensino de autistas”

Para colaborarem, podem seguir o link abaixo e deixar a V. opinião


http://gilt. isep.ipp. pt/mlt/index. php?option= com_artforms&formid=5&Itemid=99999


Grata

segunda-feira, setembro 14

ALTAS HABILIDADES : REVENDO CONCEPÇÕES E CONCEITOS

Dóra Cortat Simonetti *
ABAHSD - Associação Brasileira para Altas Habilidades/ Superdotados
Resumo :
Apesar de documentos legais que reconhecem alunos com capacidade acima da média na população escolar o que, muitas vezes, chega à prática dos profissionais da educação são conceitos desligados de concepções, relativamente vagos, pesados de mitos que as produções científicas estão derrubando. Ressignificar as concepções e conceitos sobre altas habilidades / superdotação é de suma importância sobretudo quando se admite que qualquer prática educativa deve sempre partir de um referencial teórico. Superdotação é um conceito que serve para expressar alto nível de inteligência e indica desenvolvimento acelerado das funções cerebrais. Desde a década de 80 surgem novas teorias sobre inteligência que vêm ampliando nossa visão sobre altas habilidades; a partir da década de 90, as pesquisas cognitivas foram enriquecidas com o desenvolvimento das ciências neurais. A Teoria da Desintegração Positiva de Dabrowski , o modelo Diferenciado de Superdotação e Talento de Gagné , o Círculo dos Três Anéis de Renzulli , o modelo das Inteligências Múltiplas de Gardner e o modelo WICS de Sternberg são estudos que se destacam. São modelos diferentes que não se excluem,mas se completam. Algumas alternativas para inclusão escolar destes alunos são: Atividades extracurriculares organizadas na própria escola, Sala de Recursos, Modelo de Enriquecimento Escolar (SEM) de Renzulli e Centro para Desenvolvimento do Potencial e Talento (CEDET) idealizado pela psicóloga Zenita Guenther.
Introdução
Lutar por uma escola inclusiva que busque ter um projeto pedagógico que responda às necessidades específicas de cada aluno e grupo de alunos traz nova esperança; sem dúvida, o convívio ampliado entre os pares é uma das mais fertéis vertentes educativas.
Quando se fala em altas habilidades/ superdotaçã o diversas são as abordagens sobre o tema. Enquanto a neurobiologia valoriza os mecanismos cerebrais, a psicopedagogia social busca fatores psicológicos, educacionais e sociológicos que possam determiná-las e a genética ressalta o papel dos gens. As dificuldades na escolha de um conceito de superdotação não residem apenas nas diferentes concepções sobre o conceito em sí mesmo mas, no que pode ser incluído no seu âmbito.
Gallagher (1979) chama a atenção para o fato de que o conceito de superdotação está ligado a cultura. Para muitos professores os alunos superdotados fazem o melhor trabalho na sala de aula, participam avidamente das atividades de classe e completam as tarefas com presteza. Outros reconhecem alto nível em estudantes que demonstram profundidade de pensamento e sensibilidade por suas observações e pelo tipo de perguntas que fazem. Poucos percebem o fomentador de discórdias e o não conformista como possível aluno superdotado.
A literatura especializada aborda com frequência superdotação e talento como termos com dois pontos em comum: se referem a habilidades e estão acima da média da população. Para o senso comum, a habilidade intelectual é superdotação e a habilidade artística é talento.
Para Clark (1998), a superdotação é um conceito de fundo biológico que serve como rótulo para alto nível de inteligência e indica desenvolvimento acelerado das funções do cérebro, o qual pode ser expresso através de habilidades de alto nível. O avanço das neurociências nas investigações sobre inteligência mudou as formulações anteriores.
Embora estas questões de terminologias ainda aflorem, a atenção tem se concentrado em proporcionar a cada um dos alunos com capacidade acima da média, oportunidades para seu desenvolvimento. A fundamentação teórica é importante e os exemplos que se seguem não são excludentes, se complementam.
Teoria da Desintegração Positiva de Dabrowsky (TDP)
A TDP tem implicações consideráveis para explicar o desenvolvimento emocional do superdotado, tornando-se importante para entender os padrões de crescimento e os desafios daqueles que tem altas habilidades. Dabrowsky, psicólogo polonês, identificou cinco áreas de superexcitabilidade : psicomotriz, sensorial, intelectual, imaginativa e emocional. Chamou este processo de desintegração positiva porque o crescimento e o desenvolvimento delas era acompanhado de angústia e ansiedade. As superexcitabilidade s são uma elevada habilidade inata para perceber estímulos e responder a eles.
Modelo Diferenciado de Superdotação e Talento de Gagné
.Gagné propõe que a superdotação está associada à habilidade intelectual geral – fator “ g “, enquanto que o talento indica destrezas mais específicas. Identificou cinco atitudes:: intelectual, criativa, sócio-afetiva, sensomotora e percepção extrasensorial. Neste modelo, as habilidades naturais atuam como material para os elementos constituintes dos talentos; a superdotação se refere a medidas de potencial, habilidades não treinadas, enquanto o talento se reserva especificamente para rendimentos alcançados como resultado de um programa sistemático de formação e prática.
O Círculo dos Três Anéis de Renzulli
Teoria formulada por Renzulli na década de 70, apresenta uma conceituação centrada mais na atuação que na potencialidade, onde sustenta um modelo que não se atém no Quociente Intelectual, mas na confluência de três fatores : habilidade acima da média, compromisso com a tarefa (motivação) e criatividade elevada. A habilidade acima da média permanece relativamente estável e não necessita ser excepcional; a criatividade se refere à flexibilidade e à originalidade do pensamento e o comprometimento com a tarefa refere-se à persistência, dedicaçâo, esforço e autoconfiança. A partir de sua caracterização, Renzulli conclui que a superdotação é relativa ao tempo, à pessoas e às circunstâncias, isto é, os comportamentos superdotados têm lugar em determinadas pessoas (não em todo o mundo), em determinados momentos e em determinadas circunstâncias (não em todo o tempo ).
Modelo das Inteligências Múltiplas de Gardner
A idéia de que há várias inteligências não é nova. Gardner apoiou seus antecessores , como Thurstone e Guilford, procurando complementar alguns pontos: a não inclusão dos fatores biológicos da inteligência, não problematizaçã o da criatividade, insensibilidade aos papéis socialmente valorizados. Assumindo que o mapa cerebral sugere áreas distintas de funcionamento inteligente, conclui em seus estudos, divulgados em 1983, que existem tipos de inteligências independentes. Duas especialmente importantes para a aprendizagem - linguística e lógico-matemática, inteligências "não canônicas": musical, espacial,corporal- cinestésica, naturalista e as inteligências pessoais (inter e intrapessoal) , ponderando sobre a existência de uma nona inteligência que chamou de existencial (Gardner, 2005 ).Trata-se de uma teoria útil porque expande os conceitos de inteligência, e amplia a maneira de identificar talentos, mas sem investigação empírica que sustente suas afirmações (Sternberg, 2000) .
Modelo WICS de Sternberg
Segundo Sternberg (2000) para compreender habilidades devemos pensar não só em termos de Quociente Intelectual, mas também de Inteligência Exitosa. Esta é a habilidade intencionall para adaptar-se a diferentes ambientes, configurá-los e selecioná-los. Postula que as pessoas inteligentes conhecem suas próprias forças e compensam suas fraquezas.A partir de sua teoria triáquica da inteligência deriva uma concepção plural de superdotação e formula um modelo pentagonal o qual considera que esta deve ter um conjunto de cinco características: excelência, raridade, produtividade, demonstratividade e valor. O modelo WICS (Wisdom,Intelligenc e,Creativity, Synthesized) é uma possível base comum para identificar pessoas superdotadas (Sternberg,2003) . A superdotação seria uma síntese de sabedoria, inteligência e criatividade. Sabedoria emanada da teoria do equilíbrio de interesses; existentes e a seleção de novos ambientes; inteligência como a capacidade de maximizar pontos fortes e compensar as debilidades; criatividade como decisão de superar obstáculos e assumir riscos.

Alternativas de inclusão escolar
• Atividades curriculares organizadas na própria escola – São realizadas com a intenção de ocupar os alunos mais capazes por meio de cursos de arte, clubes de ciências ou de esportes, monitoria de colegas. Correm o risco de se tornarem atividades rotineiras, planejadas com as possibilidades da escola e não com as reais necessidades do aluno.
• Sala de recursos – Esta estratégia foi inicialmente desenvolvida para atender alunos com deficiência, cuja aprendizagem exigia material didático específico. Diretrizes do MEC (1998) sugerem esta alternativa também para alunos superdotados. Pelo que se sabe para desenvolver talentos não são requeridos “recursos materiais” específicos, em uma sala especial , pois os recursos pedagógicos usados por eles são necessários aos outros alunos da escola.
O objetivo desta sala seria oportunizar a convivência entre, orientados por um professor / facilitador capacitado para catalisar todos os recursos materiais e humanos, existentes na escola ou fora dela, e sobre esta base atender cada criança de acordo com seus interesses e potencial.
• Modelo de Enriquecimento Curricular (SEM) - Trata-se de um plano que se apoia em vários anos de investigação destinado a identificar altos níveis de potencial nas habilidades, interesses e estilos de aprendizagem dos alunos, além da estimulação de tais potencialidades.
Compõe-se de três dimensões em interação: componentes organizacionais, componentes de prestação de serviços e estruturas escolares.
 Centro de Desenvolvimento do Potencial e do Talento (CEDET). O CEDET é um espaço de apoio, complementação e suplementação educacional ao aluno com altas habilidades, matriculado em escolas públicas ou particulares. Seu projeto educativo, objetiva desenvolver o auto-conceito, cultivar a sensibilidade e o respeito aos outros. Suas ações voltam-se para a identificação e recrutamento dos alunos, peça observação direta dos professores, reavaliação pelas equipes técnicas da escola e do CEDET, bem como atendimento especializado.
Conclusão
O conceito de altas habilidades evoluiu historicamente de uma concepção unidimensional, limitada a aptidões cognitivas e avaliaçâo psicométrica para uma compreensão multidimensional. Embora a literatura especializada não se alicerce em um conceito uniforme existe um consenso quanto à sua ampliação. Os elevados níveis de cognição e desempenho em uma área ou mais de conhecimento constituem elementos comuns às várias concepções, como também o reconhecimento da importância de ações para o desenvolvimento do talento. Em síntese, talento não se desperdiça, estimula-se.

Referências
BRASIL,MEC,SEESP, Subsídios para organização e funcionamento de serviços de educação especial, Área de Altas Habilidades, v. 9, 1998 ( Série Diretrizes )
CLARK, Bárbara. Otimização do aprendizado: identificação, planejamento e recursos para jovens superdotados e talentosos, Anais do Congresso Internacional sobre Superdotação ,Brasil : Brasilia, 1998
GALLAGHER,James J. Issues in education for the gifted in The gifted and Talented: their education and development, Universidade de Chicago, Illinois, 1979
GAGNÉ, F. Modelo diferenciado de superdotación y talento in Benito, Y. y Alonso, J.A. Superdotados, Talentos, Creativos y Dessarrolo Emocional , Ecuador,Loja : UTPL, 2004
GARDNER, Howard. Mentes que mudam: a arte e a ciência de mudar as nossas mentes e a dos outros, Porto Alegre : Artmed/Bookman, 2005
GUENTNER,Zenita C. Desenvolver capacidades e talentos - um conceito de inclusão, Petropólis: Vozes, 2000
RENZULLI, J.S. Os fatores da excepcionalidade, in Anais do XIV Congresso Mundial de Superdotação e Talento, Espanha: Barcelona, 2001
____________ __ & FLEITH, D.S. O modelo de enriquecimento escolar , Portugal, Braga, Sobredotação : ANEIS, v. 3 , no. 2, 2002
REVISTA CÓDICE 2,5 .Kazimierz Dabrowsky, Bogotá: Instituto Alberto Merani, Ano 3, no. 1, 2002
STERNBERG, Robert L. La inteligencia exitosa: una visión má ampla de quién es más listo en la escuela y en la vida y Entrevista exclusiva in Códice 2,5, Bogotá : Instituto Alberto Merani , Ano 1, no. 1, fevereiro de 2000
____________ _______ . WICS as a Model of Giftedness , High Abilities Studies, v. 14, no. 2, 2003

Pré-sal. Trabalhadores com deficiencia defende reserva de 5% dos recursos do futuro Fundo Social, a ser criado sobre a exploração do petróleo.

Com o objetivo de formar, profissionalizar a classe trabalhadora com deficiencia para o mundo do trabalho. Os coletivo Estaduais de Trabalhadores com Deficiencia da APEOESP,SINDSAUDE, BANCO CENTRAL, e COMERCIARIOS defenderam a tese "Subindo a Rama com Dilma Rousseff" no II Encontro Estadual de Trabalhadores e Trabalhadoras com Deficiencia da CUT-SP.
A APEOESP em seu auditório central recebeu 72 trabalhadores (as) com deficiência e mais representantes de Federações e Confederações sindicais.
Dentre as federações a educação inscreveu o maior número de delegados.
Roberto Felício, Deputado estadual, ex-presidente da APEOESP fez a abertura e trouxe um grande abraço de toda a bancada do PT na Assembléia Legislativa do estado, aos trabalhadores (as) com deficiência do estado.
O encontro teve o objetivo de ouvir o segmento e propor políticas públicas para o segmento dos trabalhadores (as) com deficiência.
A classe trabalhadora com deficiência vem sofrendo com posições dos patrões que rotulam trabalhadores com deficiência como improdutivos, e só contratam estes trabalhadores porque a lei exige.
A precarização das relações de trabalho como contratos temporários e terceirização engesa mais o mundo do trabalho da pessoa com deficiência.
Participaram mais de 180 pessoas entre, autoridades, convidados e delegados.
Os trabalhadores com deficiência da Educação, Bancários e Metalúrgicos foram a maior delegação.
Com 72 delegados trabalhadores com deficiência, foi referendado 24 delegados ao encontro nacional que ocorrerá no próximo dia 21/09, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência.
O evento foi o ponta pé inicial para gerar políticas públicas para a classe trabalhadora com deficiência, causou polemica a defesa da TESE "Subindo a Rampa com Dilma Roussef", foi o marco do encontro tese defendida pelos trabalhadores com deficiência do setor público e os comerciários, que defende reserva de 5% do s recursos do pré-sal para formação, profissionalizaçã o da classe trabalhadora com deficiência.
Sindicatos de representação como a APEOESP,SINDSAÙ DE,BANCOCENTRAL, COMERCIÁRIOS, que propunham 5% de reserva do fundo social dos recursos obtidos pela exploração do petróleo da cama do Pré-sal, para formação, profissionalizaçã o e especialização das pessoas com deficiência para o mundo do trabalho.
Da delegação presente foram tirados 24 delegados para o encontro nacional que irá ocorrer no dia 21/09 em São Bernardo do Campo.
Com uma boa e competente delegação a Setorial credenciou 12 delegados que participaram do Encontro Nacional dos trabalhadores com Deficiência da CUT pára defender a bandeira da classe trabalhadora com deficiência nacionalmente.
Pré-sal reparar, uma dívida com os mais pobres..., as pessoas com deficiência

Discurso em Audiência Pública na Câmara dos Vereadores da Cidade de Fortaleza

Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

Senhores Vereadores, amigos e colaboradores presentes:
Represento aqui, na qualidade de Diretor Técnico, a ABRAÇA, Associação BRAsileira para a aÇão por direitos das pessoas com Autismo.
A ABRAÇA é uma Associação nacional composta por distintas organizações, que congrega pais, profissionais e pessoas com autismo de todas as regiões brasileiras. Sua Diretoria compõe-se de representantes da Bahia, Ceará, Distrito Federal, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Nossa Associação foi criada no interesse público das pessoas com autismo, sendo a primeira Associação Brasileira a ter, em seu quadro, portadores da síndrome.
A ABRAÇA mobiliza-se, em caráter extraordinário, quando quer que haja abuso, ameaça ou dificuldades enfrentadas por pessoas autistas em qualquer Estado da Federação, através de seus Diretores Regionais.
Nosso propósito enquanto Associação Nacional é assegurar que sejam respeitadas, como cidadãos de direito, as pessoas com autismo em todas as instâncias de participação social.
A Casa da Esperança, enquanto entidade municipal, consiste em uma experiência cujos frutos espalham-se por todo o país, inspirando iniciativas do gênero em vários Estados, e atualmente em operação direta no Ceará e no Pará. Não pode ser definida apenas como uma clínica, ou como uma escola, especial ou especializada.
Na verdade a Casa da Esperança é, para pais e autistas de todo o Brasil um lume na escuridão. Entre opções de tratamento ineficazes e as francamente abusivas, a Casa emerge como um paradigma para a conquista da inclusividade social, educacional e no mundo do trabalho, em favor das pessoas com autismo.
Seu trabalho atrai pessoas de outros Estados, que muitas vezes migram, trazendo seu talento, sua capacidade produtiva e seus filhos para o Estado do Ceará, que é um Estado como poucos, onde as pessoas em atendimento, cerca de 400 pacientes, no presente, recebem atenção multiprofissional com ações educacionais integradas, apoio à inclusão escolar, suporte psicológico e médico à família. O Ceará representa, graças a este trabalho incessante, nos últimos 16 anos, Esperança para os brasileiros que não querem ver seus filhos apenas numa escola especial, ou apenas numa clínica, ou apenas numa instituição de apoio psiquiátrico: querem tudo isso, e mais, ousando acreditar que esse todo, terapia, educação, participação social, familiar e comunitária, é inúmeras vezes maior que a mera soma das partes.
A ABRAÇA vem, representada neste ato por mim, Alexandre Costa e Silva, membro fundador e Diretor Técnico desta Associação, apelar para o bom senso dos responsáveis pelo pagamento do Sistema Único de Saúde no Município de Fortaleza.
Compreendemos que o município não seja um mero repassador de recursos financeiros, e que sua função, num programa descentralizado de assistência a saúde de abrangência nacional, é priorizar a aplicação desses mesmos recursos, garantindo o melhor uso destes, dadas as condições de saúde da população de cada município.
No entanto, tal priorização não poderia ser realizada após o atendimento ter sido prestado. É uma solução infeliz contingenciar recursos destinados ao pagamento de dívidas depois delas terem sido contraídas. Não é também uma atitude que soe muito honesta.
Tampouco é sábio retirar a Casa da Esperança das prioridades do SUS no município de Fortaleza. Dar as mãos com a sociedade civil organizada, principalmente quando atinge tal grau de expertise e excelência denota a capacidade de um governante de pensar para além dos objetivos políticos imediatos, ou das necessidades prementes, em detrimento do investimento social de qualidade.
A atitude tomada a partir deste momento pela administração municipal da saúde na cidade de Fortaleza definirá se o movimento dos direitos das pessoas autistas irá ou não reconhecer como parceiro o executivo municipal de uma das maiores cidades do Brasil, ou se irá inscrevê-lo nas páginas da história dos movimentos sociais como uma das gestões mais desastrosas, no tocante à atenção saúde das pessoas portadoras de autismo.
Esta história não é escrita apenas localmente, nem mesmo apenas nacionalmente. A Associação é parceira do Autism Network International, que noticia e difunde tanto iniciativas amigáveis como deletérias à comunidade de pessoas autistas, dentre outras atividades, em língua inglesa, e em âmbito mundial.
Sendo assim, diante do exposto exigimos enquanto Associação Nacional a imediata restituição dos recursos devidos à Casa da Esperança, cuja transferência do Fundo Nacional de Saúde já aconteceu, e o estabelecimento de alternativas para não haver mais solução de continuidade no repasse de recursos a esta reputada organização social, para que, em Fortaleza, a Esperança continue tendo casa.

Alexandre Costa e Silva
Psicólogo
Diretor Técnico da ABRAÇA


FONTE: http://casadaespera ncaedu.blogspot. com/

segunda-feira, agosto 31

*Prêmio Instituto Claro incentiva novas práticas educacionais*

Inscrições estão abertas até 4 de setembro. Mais de R$ 100 mil em prêmios
serão distribuídos entre projetos e iniciativas educacionais que privilegiam
a temática da aprendizagem com o uso de novas Tecnologias de Informação e
Comunicação (TIC’s)
Prêmio Instituto Claro – Novas formas de aprender. Com o objetivo de
estimular e reconhecer iniciativas que potencializem o uso das novas
tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento de
oportunidades de aprendizagem inovadoras, o Prêmio é dividido em três
modalidades: Pesquisa, Desenvolvimento e Vivência.
As inscrições vão até o dia 4 de setembro e serão feitas pelo Portal do
Instituto – www.institutoclaro. org.br
,
onde estarão disponíveis o regulamento e a inscrição online para cada
modalidade e categoria. No total, mais de R$ 100 mil em prêmios serão
concedidos pelo Instituto Claro a projetos de pesquisa científica, propostas
para o desenvolvimento de iniciativas que utilizam novas tecnologias no
processo de aprendizagem e relatos de práticas educacionais por meio de
recursos tecnológicos. Podem participar estudantes de graduação, curso
técnico e pós-graduação; *instituições educativas formais e não-formais; e
educadores.*
Confira abaixo os públicos-alvos, requisitos e descrição de cada modalidade.

*Pesquisa
*A modalidade Pesquisa pretende estimular estudantes a desenvolverem
pesquisas científicas que explorem a temática da causa do Instituto Claro:
aprendizagem com as novas tecnologias. Subdivide-se em duas categorias:
Graduação e Curso Técnico, que inclui trabalhos de iniciação científica e de
conclusão de curso; e Pós-Graduação (Lato Sensu e Strictu Sensu), que inclui
trabalhos de especialização, mestrado e doutorado.
Para se inscrever nestas categorias, o estudante deve estar regularmente
matriculado e com o projeto ou trabalho de pesquisa a iniciar ou em
andamento, tendo de 6 a 12 meses para terminá-lo a partir da data de
premiação.
Cada categoria terá uma pesquisa premiada. O trabalho vencedor de Graduação
e Curso Técnico receberá R$ 5 mil e o de Pós-Graduação levará R$ 16 mil para
financiar o desenvolvimento de parte ou totalidade do projeto.
*Desenvolvimento*
Esta modalidade foi criada para incentivar instituições educativas – formais
e não-formais -, desde escolas e universidades a ONGs e outras associações e
organizações, a implementar, manter ou complementar projetos e ideias
inovadoras relacionadas à causa do Instituto Claro.

O requisito para se inscrever na modalidade é que o projeto esteja para ser
iniciado ou em andamento, e que seja finalizado de 6 a 12 meses após a data
de premiação.

O número de premiados da modalidade Desenvolvimento não é pré-definido e
será determinado pela comissão técnica. O valor total que será distribuído
entre os vencedores é de R$ 80 mil.
*Vivência
*O objetivo da modalidade Vivência é reconhecer os melhores relatos de
práticas educacionais implementadas por educadores e professores a favor da
causa do Instituto. As práticas devem estar em andamento por no mínimo 6
(seis) meses ou concluídas no momento em que o educador for efetuar sua
inscrição e não podem ser anteriores a janeiro de 2006. A participação nesta
modalidade pode ser individual ou em equipe. Duas práticas serão premiadas
com um notebook com 3G da Claro cada. Caso a participação seja em equipe, um
líder deverá ser nomeado para intermediar a comunicação e o preenchimento
dos documentos e formulários de inscrição. A premiação, no caso da equipe,
será concedida a este líder.
Os projetos e iniciativas inscritos serão avaliados por uma comissão técnica
composta por especialistas em educação e tecnologia. A premiação acontecerá
no mês de outubro em São Paulo, em data a ser anunciada pelo Instituto,
durante seminário que contará com a presença de convidados que são
referências no tema.
Fonte: Instituto Claro - www.institutoclaro.
org.br

domingo, agosto 30

Kate Winslet em documentário sobre autismo




Vencedora de Óscar fará a narração do filme


Kate Winslet, vencedora de um Óscar com «The Reader», fará a narração em inglês de um documentário islandês sobre autismo.

«The Sunshine Boy», realizado por Fridrik Thor Fridriksson, e que conta também com as participações dos músicos Bjork e Sigur Ros, conta a história de um mãe que tenta entrar no mundo do filho autista de 11 anos. A protagonista viaja meio-mundo da Islândia até ao Estado norte-americano do Texas para visitar a terapeuta Soma Mukhopadhyay. O documentário estreia internacionalmente no próximo mês, no Festival Internacional de Toronto, no Canadá.

«Estou muito feliz e honrada que Kate tenha aceite a narração. A sua contribuição é fundamental para despertar as pessoas para o autismo, que muitos reclamam ser a epidemia de maior crescimento actualmente no mundo», afirmou, citada pela BBC, Margret Dagmar Ericsdottir, mãe do jovem autista.

http://www.tvi24. iol.pt/cinema/ kate-winslet- narracao- filme-autismo/ 1085000-4059. html

quarta-feira, agosto 26

Livros para dowload de Paulo Coelho

O escritor Paulo Coelho disponibilizou hoje na internet, para download gratuito, dois romances inéditos e uma coleção de textos já traduzidos em vários idiomas, como um presente a seus fãs no dia de seu aniversário.

"Meu presente para vocês em meu aniversário", anunciou Coelho, em seu perfil na rede social virtual Twitter, em comemoração a seus 62 anos, que completa hoje.

Os leitores poderão encontrar os romances no blog oficial do escritor, em vários idiomas e em diferentes formatos, desde PDF à versão adaptada a diversos aparatos digitais de leitura como o Kindle, da Amazon, o Sony Reader e o iLiad.

O primeiro romance, "O Caminho do Arco", traduzido para inglês, espanhol, italiano e alemão, conta a história de um arqueiro que transmite suas doutrinas a uma criança em seu povoado, segundo a resenha publicada no blog do autor.

Coelho utiliza da metáfora do arco e flecha para aprofundar ideias como o esforço cotidiano, a superação das dificuldades e a coragem para tomar decisões arriscadas.

Com versões em português e inglês, "Histórias para os Pais, Filhos e Netos" é uma coleção de relatos alegres, surpreendentes e dramáticos, baseados em lendas e contos tradicionais de diferentes culturas, dedicados a leitores de todas as idades.

Já o "Guerreiro da Luz" apresenta uma coleção de textos escritos por Coelho na internet e que estão unidos pela busca do "guerreiro da luz" que "cada um" tem em seu interior, segundo o escritor.

Os textos ocupam nada menos que três volumes e são oferecidos ao leitor em português, inglês e francês.


A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos.
Honoré de Balzac
Abraço
Vilma Candido

sábado, agosto 22

Avestruzes nas escolas (Artigo)



Data: 22/08/2009
Veículo: O GLOBO
Editoria: OPINIÃO
Jornalista(s): LAIS MENDES PIMENTEL e PATRÍCIA RODRIGUES
Assunto principal: ENSINO SUPERIOR OUTROS

A gripe suína mexeu no calendário escolar, mas há um outro mal que afeta, de forma silenciosa e cruel, a formação dos brasileiros. Trata-se da síndrome do avestruz: aquela que faz com que o sistema educacional fique paralisado, fingindo que não é com ele. Estamos falando do despreparo de professores para a realidade da inclusão, nas escolas regulares, de alunos com necessidades especiais.
São inúmeros os casos em que fica evidenciada a inaptidão de professores e diretores de escola na hora de lidar com estudantes com alguma questão cognitiva. E a raiz deste descalabro é clara: os currículos universitários dos cursos de pedagogia não preparam futuros professores para a inclusão.
Há legislação que prevê que a matrícula dessas crianças seja feita preferencialmente na rede regular de ensino.
Mesmo assim, muitas escolas, particulares ou não, ainda negam o direito a tantas crianças de serem educadas como quaisquer outras. O argumento é tosco: elas dizem não estarem preparadas para lidar com as "diferenças".
Estudo recente mostrou a aberração forjada em salas de aula por conta do tal despreparo. A pesquisa Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, mostra que 96,5% dos entrevistados (pais, alunos e profissionais de cerca de 500 escolas) têm preconceito contra portadores de necessidades especiais; 94,2% têm preconceito étnico-racial, 93,5% de gênero; 91% de geração; 87,5% socioeconômico; 87,3% com relação à orientação sexual e 75,95% têm preconceito territorial.
É fácil entender, afinal, as melhores universidades do Rio de Janeiro contam apenas com uma matéria obrigatória de Educação Especial.
Lidar com as diferenças virou então matéria de cursos de especialização, uma questão de opção. O futuro professor tem que, por conta própria, conhecer, por exemplo, educadores como Reuven Feuerstein e Vitor da Fonseca, que demonstram como promover o desenvolvimento máximo do potencial cognitivo, social e afetivo de pessoas que hoje são marginalizadas.
Professores avestruzes não enxergam a pluralidade do ser humano e escolhem colocar a cabeça debaixo da terra, fingindo que tudo está bem. Aumentam assim os casos dessa síndrome cruel, alimentados pelas escolas que os contratam e pelas universidades que os diplomam. A atualização do caduco currículo das faculdades de pedagogia seria uma vitória de todos em direção a uma educação de verdade.

sexta-feira, agosto 21

O MILAGRE DE ANNIE SULLIVAN


Em 1887, no Alabama, a jovem Helen Keller, cega e muda, desde a infância, devido a uma congestão cerebral, está a ponto de ser enviada para uma Instituição especializada em doentes mentais.
Sua falta de habilidade para se comunicar a deixou frustrada e violenta.
É um tempo difícil no sul dos Estados Unidos.

Desesperados, seus pais procuram ajuda junto ao Perkins Institute, de Boston, que lhes encaminha a jovem Annie Sullivan para ser tutora de sua filha.
Annie acabara de concluir seu curso, de modo que Helen será sua primeira aluna.

Em sua incansável tarefa para tentar fazer com que Helen se adapte e entenda, pelo menos em parte, o mundo que a cerca, Annie não se mostra condescendente nem a trata como uma pessoa deficiente.
Com essa atitude e determinação, entra muitas vezes em confronto com os pais de Helen, que sempre sentiram pena da filha e a mimaram. Por várias vezes, o pai a ameaça de mandá-la embora.
A situação chega a tal ponto que Annie diz que, para seu trabalho apresentar bons resultados, é preciso que ela e Helen passem a morar sozinhas numa outra casa da família.

A tarefa é realmente difícil, mas com pulso firme e muito amor, Annie consegue, em relativamente pouco tempo, tornar Helen uma garota dócil, bem como, fazer com que ela aprenda a linguagem dos dedos e a pronunciar suas primeiras palavras.


Críticas

Baseado no livro autobiográfico "The Story of my Life" de Helen Keller, "O Milagre de Annie Sullivan" é um grande clássico do cinema americano. Realizado pelo cineasta Arthur Penn, o filme é comovente e retrata a luta pela vida , nesse caso, contra a adversidade.

A direção de Arthur Penn é soberba.
O roteiro, assinado por William Gibson, é muito bem escrito e estruturado.
As interpretações de Anne Bancroft e Patty Duke são impactantes em sua sinceridade brutal. A emoção envolve o espectador à medida em que o personagem vivido por Patty Duke vai-se despojando de suas defesas e aversões para descobrir algo novo entre elas, o milagre a que o título se refere.

Enfim, "O Milagre de Annie Sullivan" é um filme imperdível.
Para saber mais do filme link http://www.65anosdecinema.pro.br/O_milagre_de_Annie_Sullivan.htm


Amiguinos educadores, não costumo colocar links para baixar filmes.
Mas este é uma raridade, e pelo que sei não se acha em locadoras...
Já passou no SBT faz muito tempo e era traduzido, se alguém tiver...

Vou postar onde baixei para assistir...

Parte 1 = http://www.megaupload.com/?d=GGYNT34I

Parte 2 = http://www.megaupload.com/?d=1Z1937EF

Parte 3 = http://www.megaupload.com/?d=OXPQWT0S

depois é preciso esse programa para ajuntar as partes para ser assistido.

http://baixaki.ig.com.br/download/HJ-Split.htm
é um programa pequeno que depois de inatalado é só clicar em JOIN. Já fiz no meu, e ajuntou sem problemas.


quinta-feira, agosto 13

Congresso: Tecnologia & pessoas com deficiencia & inclusão

O II Congresso Muito Especial de Tecnologia Assistiva e inclusão social das pessoas com deficiência do Rio de Janeiro é uma realização do Instituto Muito Especial com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia. A segunda edição do evento visa reforçar a importância do tema e apresentar as inovações na área de Tecnologia Assistiva, além de debater sobre as novas possibilidades que facilitam e contribuem para a inclusão social da pessoa com deficiência.
O Congresso será realizado na cidade do Rio de Janeiro do dia 24 a 27 de agosto de 2009.
Objetivos
Prosseguir na disseminação do conceito de acessibilidade e inclusão da pessoa com deficiência
Estimular a pesquisa e desenvolvimento da Tecnologia Assistiva no Brasil;
Contribuir para atualizar o conhecimento técnico dos profissionais da área;
Difundir experiências inovadoras, como um instrumento facilitador no processo de inclusão social e profissional das pessoas com deficiência.
O II Congresso Muito Especial de Tecnologia Assistiva e inclusão social das pessoas com deficiência do Rio de Janeiro será realizado no Centro de Convenções SulAmérica – 2ª pavimento do Espaço Grand Balroom – Av. Paulo de Frontin, 1 (esquina com a Av. Presidente Vargas – próximo a estação de metrô Estácio) Cidade Nova – Rio de Janeiro – RJ
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: http://www.congress oassistivario200 9.org.br/ principal. aspx

quarta-feira, agosto 12

Sites legais!

Segue abaixo alguns links de videos educativos do youtube e dois sites bem legais. O primeiro indicado por Paula, fono de Segundo, e o outro por uma mãe do meu grupo de discussão sobre autismo. Aproveitem

o indiozinho autista
http://www.tribodog uarana.net/ Historias/ Mucura/index. htm

trem encantado
http://www.tremencantado.com. br/diversos/ escola/escola. htm

videos educativos
http://www.youtube. com/watch? v=OkacTug_ D6s
http://www.youtube. com/watch? v=ezxM3K01BCw&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=9JqIAqdAByk&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=yZAHTbCmm0o&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=gfRssjgfdl4&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=wJrwC-rBItY&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=s818tk2UnWY&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=_GhAuf0CCG0&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=CyuRJBcS5ek&feature=related
http://www.youtube. com/watch? v=v7bkRi- tVC4&feature=related

segunda-feira, agosto 10

Jogos Educativos

No endereço abaixo você vai encontrar 30 jogos para baixar.
São ótimos jogos para trabalhar com nossas crianças.
Aproveitem!
http://espacoeducar-liza.blogspot.com/2009/07/atividades-fonicas.

Sonho...

Durma filho,
Que seus sonhos sejam reais
E que as estrelas te guiem...
Durma meu filho,

Que eu velarei teu sono
Creia, há um mundo além da lua
Onde seu espírito se liberta
E dança, e canta, e brinca e não sofre...

Durma filho,
Não tenho sono,
Temo pela noite quieta
Temo que nunca voltes

Pois teu mundo no além
Com certeza deve ser mágico
Seus olhos buscam o acaso.
O silencio das madrugadas

Faz-me repensar, reavaliar
Orar, orar baixinho
Sem a hipocrisia da repetição,
Quanta dádiva, seu corpo quieto

Durma filho,
A vida acordada sempre te cobrará
Viaja, reveja seus amigos...
Mas não me deixa aqui,

Espero-te como quem espera
o milagre do amor eterno...
Acordaste...
Bom dia filho, seu sorriso menino

Faz-me crê que tiveste
Uma linda noite,
Deus te abençoe meu filho
Agora eu posso adormecer
Segura minha mão fria
A ti caberá meu sono velar!

Autora
Liê Ribeiro
mãe de um rapaz autista

Passeio à casa da vovó

Olá amigos,
Este final de semana fomos visitar a vovó Camila. Segundo estava feliz e adorou o passeio. Brincou e sorriu muito. sabe de que ele está adorando bringar agora: "SOCO, SOCO, BATE, BATE, SOCO, SOCO, VIRA, VIRA...... e faz tudo bem certinho. E eu que pensei que já tinha me libertado do fantasma da Xuxa(kkkkkk).
É muito bom vê-lo feliz!

Divulgando esse blog no orkut

Gente, esta semana fiquei sabendo de um material produzido por uma família de Recife que, visitando esse blog, gostou do que leu e resolveu colocar o link no orkut delas. Não conheço a família, mas me sinto agradecida pelo empenho e ajuda em divulgar e dismitificar o autismo.
Muito obrigada Sra. Késia e família

Desmitificando o autismo

sexta-feira, agosto 7

DEZ COISAS QUE TODA CRIANÇA AUTISTA GOSTARIA QUE VOCÊ SOUBESSE

1) Antes de tudo eu sou uma criança. Eu tenho autismo. Eu não sou somente "Autista". O meu autismo é só um aspecto do meu caráter. Não me define como pessoa. Você é uma pessoa com pensamentos, sentimentos e talentos. Ou você é somente gordo, magro, alto, baixo, míope. Talvez estas sejam algumas coisas que eu perceba quando conhecer você, mas isso não é necessariamente o que você é. Sendo um adulto, você tem algum controle de como se auto-define. Se quer excluir uma característica, pode se expressar de maneira diferente. Sendo criança eu ainda estou descobrindo. Nem você ou eu podemos saber do que eu sou capaz. Definir-me somente por uma característica, acaba-se correndo o risco de manter expectativas que serão pequenas para mim. E se eu sinto que você acha que não posso fazer algo, a minha resposta naturalmente será: Para que tentar?

2) A minha percepção sensorial é desordenada. Interação sensorial pode ser o aspecto mais difícil para se compreender o autismo. Quer dizer que sentidos ordinários como audição, olfato, paladar, toque, sensações que passam desapercebidas no seu dia a dia podem ser doloridas para mim. O ambiente em que eu vivo pode ser hostil para mim. Eu posso parecer distraído ou em outro planeta, mas eu só estou tentando me defender. Vou explicar o porquê uma simples ida ao mercado pode ser um inferno para mim: a minha audição pode ser muito sensível. Muitas pessoas podem estar falando ao mesmo tempo, música, anúncios, barulho da caixa registradora, celulares tocando, crianças chorando, pessoas tossindo, luzes fluorescentes. O meu cérebro não pode assimilar todas estas informações, provocando em mim uma perda de controle. O meu olfato pode ser muito sensível. O peixe que está à venda na peixaria não está fresco. A pessoa que está perto pode não ter tomado banho hoje. O bebê ao lado pode estar com uma fralda suja. O chão pode ter sido limpo com amônia. Eu não consigo separar os cheiros e começo a passar mal. Porque o meu sentido principal é o visual. Então, a visão pode ser o primeiro sentido a ser super-estimulado. A luz fluorescente não é somente muito brilhante, ela pisca e pode fazer um barulho. O quarto parece pulsar e isso machuca os meus olhos. Esta pulsação da luz cobre tudo e distorce o que estou vendo. O espaço parece estar sempre mudando. Eu vejo um brilho na janela, são muitas coisas para que eu consiga me concentrar. O ventilador, as pessoas andando de um lado para o outro... Tudo isso afeta os meus sentidos e agora eu não sei onde o meu corpo está neste espaço.

3) Por favor, lembre de distinguir entre não poder (eu não quero fazer) e eu não posso (eu não consigo fazer) Receber e expressar a linguagem e vocabulário pode ser muito difícil para mim. Não é que eu não escute as frases. É que eu não te compreendo. Quando você me chama do outro lado do quarto, isto é o que eu escuto "BBBFFFZZZZSWERSRTDSRDTYFDYT João". Ao invés disso, venha falar comigo diretamente com um vocabulário simples: "João, por favor, coloque o seu livro na estante. Está na hora de almoçar". Isso me diz o que você quer que eu faça e o que vai acontecer depois. Assim é mais fácil para compreender.

4) Eu sou um "pensador concreto" (CONCRETE THINKER). O meu pensamento é concreto, não consigo fazer abstrações.Eu interpreto muito pouco o sentido oculto das palavras. É muito confuso para mim quando você diz "não enche o saco", quando o que você quer dizer é "não me aborreça". Não diga que "isso é moleza, é mamão com açúcar" quando não há nenhum a mamão com açúcar por perto e o que você quer dizer é que isso e algo fácil de fazer. Gírias, piadas, duplas intenções, paráfrases, indiretas, sarcasmo eu não compreendo.

5) Por favor, tenha paciência com o meu vocabulário limitado.Dizer o que eu preciso é muito difícil para mim, quando não sei as palavras para descrever o que sinto. Posso estar com fome, frustrado, com medo e confuso, mas agora estas palavras estão além da minha capacidade, do que eu possa expressar. Por isso, preste atenção na linguagem do meu corpo (retração, agitação ou outros sinais de que algo está errado).Por um outro lado, posso parecer como um pequeno professor ou um artista de cinema dizendo palavras acima da minha capacidade na minha idade. Na verdade, são palavras que eu memorizei do mundo ao meu redor para compensar a minha deficiência na linguagem. Por que eu sei exatamente o que é esperado de mim como resposta quando alguém fala comigo. As palavras difíceis que de vez em quando falo podem vir de livros, TV, ou até mesmo serem palavras de outras pessoas. Isto é chamado de ECOLALIA. Não preciso compreender o contexto das palavras que estou usando. Eu só sei que devo dizer alguma coisa.

6) Eu sou muito orientado visualmente porque a linguagem é muito difícil para mim.Por favor, me mostre como fazer alguma coisa ao invés de simplesmente me dizer. E, por favor, esteja preparado para me mostrar muitas vezes. Repetições consistentes me ajudam a aprender. Um esquema visual me ajuda durante o dia-a-dia. Alivia-me do stress de ter que lembrar o que vai acontecer. Ajuda-me a ter uma transição mais fácil entre uma atividade e outra. Ajuda-me a controlar o tempo, as minhas atividades e alcançar as suas expectativas. Eu não vou perder a necessidade de ter um esquema visual por estar crescendo. Mas o meu nível de representação pode mudar. Antes que eu possa ler, preciso de um esquema visual com fotografias ou desenhos simples. Com o meu crescimento, uma combinação de palavras e fotos pode ajudar mais tarde a conhecer as palavras.

7) Por favor, preste atenção e diga o que eu posso fazer ao invés de só dizer o que eu não posso fazer.Como qualquer outro ser humano não posso aprender em um ambiente onde sempre me sinta inútil, que há algo errado comigo e que preciso de "CONSERTO". Para que tentar fazer alguma coisa nova quando sei que vou ser criticado? Construtivamente ou não é uma coisa que vou evitar. Procure o meu potencial e você vai encontrar muitos! Terei mais que uma maneira para fazer as coisas.

8) Por favor, me ajude com interações sociais. Parece que não quero brincar com as outras crianças no parque, mas algumas vezes simplesmente não sei como começar uma conversa ou entrar na brincadeira. Se você pode encorajar outras crianças a me convidarem a jogar futebol ou brincar com carrinhos, talvez eu fique muito feliz por ser incluído. Eu sou melhor em brincadeiras que tenham atividades com estrutura começo-meio-fim. Não sei como "LER" expressão facial, linguagem corporal ou emoções de outras pessoas. Agradeço se você me ensinar como devo responder socialmente. Exemplo: Se eu rir quando Sandra cair do escorregador não é que eu ache engraçado. É que eu não sei como agir socialmente. Ensine-me a dizer: "você esta bem?".

9) Tente encontrar o que provoca a minha perda de controle.Perda de controle, "chilique", birra, mal-criação, escândalo, como você quiser chamar, eles são mais horríveis para mim do que para você. Eles acontecem porque um ou mais dos meus sentidos foi estimulado ao extremo. Se você conseguir descobrir o que causa a minha perda de controle, isso poderá ser prevenido - ou até evitado. Mantenha um diário de horas, lugares pessoas e atividades. Você encontrar uma seqüência pode parecer difícil no começo, mas, com certeza, vai conseguir. Tente lembrar que todo comportamento é uma forma de comunicação. Isso dirá a você o que as minhas palavras não podem dizer: como eu sinto o meu ambiente e o que está acontecendo dentro dele.

10) Se você é um membro da família me ame sem nenhuma condição. Elimine pensamentos como "Se ele pelo menos pudesse…" ou "Porque ele não pode…" Você não conseguiu atender a todas as expectativas que os seus pais tinham para você e você não gostaria de ser sempre lembrado disso. Eu não escolhi ser autista. Mas lembre-se que isto está acontecendo comigo e não com você. Sem a sua ajuda a minha chance de alcançar uma vida adulta digna será pequena. Com o seu suporte e guia, a possibilidade é maior do que você pensa. Eu prometo: EU VALHO A PENA. E, finalmente três palavras mágicas: Paciência, Paciência, Paciência. Ajuda a ver o meu autismo como uma habilidade diferente e não uma desabilidade. Olhe por cima do que você acha que seja uma limitação e veja o presente que o autismo me deu. Talvez seja verdade que eu não seja bom no contato olho no olho e conversas, mas você notou que eu não minto, roubo em jogos, fofoco com as colegas de classe ou julgo outras pessoas? É verdade que eu não vou ser um Ronaldinho "Fenômeno" do futebol. Mas, com a minha capacidade de prestar atenção e de concentração no que me interessa, eu posso ser o próximo Einstein, Mozart ou Van Gogh. Eles também tinham autismo, uma possível resposta para alzaheim o enigma da vida extraterrestre - O que o futuro tem guardado para crianças autistas como eu, está no próprio futuro. Tudo que eu posso ser não vai acontecer sem você sendo a minha Base. Pense sobre estas "regras" sociais e se elas não fazem sentido para mim, deixe de lado. Seja o meu protetor seja o meu amigo e nós vamos ver ate onde eu posso ir. CONTO COM VOCÊ!!!
Por Ellen Nottohm (tradução livre - Andréa Simon)

terça-feira, agosto 4

COMO VEJO MEUS NETOS

É muito interessante vê duas crianças perfeitas, com mentes diferentes, mas bem unidas.
No início, houve um ciúme da irmã(" Porque meu irmão, que eu tanto amo, não quer me dá ouvidos para brincar comigo?"). O interessante é que ela percebeu logo que o autismo não ia incomodá-la, que ela conseguiria brincar e ensinar ao seu irmãozinho tudo que ela quisesse.
Os problemas foram diminuindo e hoje a convivência entre eles é normal. Segundo está fazendo o tratamento, melhorando a cada dia e a vida anda seguindo seu curso.
Portanto, lutemos sempre, e tudo volta ao normal.
Jesus abençoa o teu esforço.
Camila Araújo (Vó de Bruna e Segundo)

segunda-feira, julho 27

Filmes que tratam de deficiências




Selecionei aqui alguns filmes que falam sobre o autismo e que podem ajudar a entender um pouco sobre esse transtorno. Não deixem de assirtir!

Uma lição de amor - (autismo)
Meu Filho,Meu Mundo - James Farentino (autismo)
Experimentando a Vida - Elisabeth Shue (autismo)
Tommy - Roger Daltrey ( autismo)
Rain Man - Dustin Hofman ( autismo)
O enigma das cartas ( autismo).
O milagre de Anne Sulivann ( cegueira, surdez e mudez) (filme de colecionador).
A filha da Luz ( autismo).
Prisioneiro do Silêncio ( autismo, deficiência mental)
O Oleo de Lorenzo ( doença degenerativa)
Meu Adorável Professor ( surdez)
O pequeno milagre ( nanismo/discriminação)
Meu Pé Esquerdo ( paralisia cerebral)

Autismo e medicina hortomolecular



Alguns pesquisadores acreditam que os autistas ou parte deles tenham problemas na digestão de alimentos que tenham glúten e/ou caseína (leite e derivados).
Existe também na medicina Ortomolecular uma tratamento chamado ITA (Imuno Terapia Ativada), através de exames específicos, podem ser constatadas alergias alimentares específicas, que podem causar males no organismo e no sistema nervoso em geral.Acredita-se que estas alergias produzam antígenos que agem como bloqueadores no organismo, provocando diferentes males.No site www.medicinacomplementar.com.br você encontrará artigos mais descritivos.
Para saber se tem e quais alergias alimentares, o médico realiza exames e então prescreverá o mais indicado para alimentação. Como é comum a alergia ao trigo e glúten e como existem estudos que falam do glúten e caseína, disponibilizo a seguir algumas receitas.
Lembro que deve consultar sempre as embalagens, pois algumas margarinas contém soro de leite e certos chocolate em pó também.Uma marca pode ter e a outra não.Acostume-se a ler bem as embalagens, pois esta dieta deve excluir totalmente leite e derivados bem como glutén.
Veja a seguir uma receita, apanhadas na rede.

BALA DE ABACAXI
(natural, sem corante e sem conservante)
Um copo de suco de abacaxi(250ml)
½ copo de água
½ quilo de açúcar
½ colher de chá de suco de limão.
Modo de Preparo:
Dissolva o açúcar no suco e na água, acrescente o suco de limão e leve ao fogo, em panela de fundo grosso, e não mexa mais.Quando tomar ponto de fio grosso, ( experimente pondo um pouquinho numa xícara com água fria, se formar uma bolinha não muito dura, está ok), despeje num mármore untado com margarina.Quando estiver morno, puxe e faça cordões da grossura de um dedo, como nas balas de côco, e corte no tamanho de sua preferência.Enrole em papel celofane, ou em um plástico fininho. Pode ser conservada em geladeira.

domingo, julho 26

AMIZADE

Amizade é amor
De alguém
Que gosta de você
Sem dor

Deus é meu amigo
E saiba
Que existe invejoso
E não inimigo

Meus pais e familiares
São amigos grandes
Confiantes
Com sorrisos de felicidades

Existem amigos-crianças
Engraçados e legais
Que são sempre leais
E cheios de esperanças

Os amigos merecem sempre
Um dia especial
Igual a carnaval
Como feriado para a gente!
(Bruna Araújo – 9 anos)

segunda-feira, julho 20

FELIZ DIA DO AMIGO

Abro um espaço especial para este "Dia do Amigo" data marcada pelo calendário civil mas que eu prefiro marcá-lo e afirmá-lo pelo calendário do coração que o dia do amigo é do termo Kairós, termo este que se refere tanto a uma personagem da mitologia, quanto uma antiga noção grega para referir-se a um aspecto qualitativo do tempo. A palavra Kairós, em grego, significa o momento certo. E isso define um amigo e uma amiga, sua presença. Sua correspondente em latim, momentum, refere-se ao instante, ocasião ou movimento que deixa uma impressão forte e única para toda a vida (WEBSTER, 1993). Na mitologia grega, Kairós é um atleta de características obscuras, que não se expressa por uma imagem uniforme, estática, mas por uma idéia de movimento.
Assim é a amizade... se expõe, se debate, as vezes cala, colabora, toma distância, retorna, assume. Metaforicamente, ele descreve uma noção peculiar de tempo, uma qualidade complementar em relação à noção de temporalidade representada por Cronos. Kairós refere-se a uma experiência temporal na qual percebemos o momento oportuno em relação à determinado objeto, processo ou contexto. Em palavras simples, diríamos que Kairós revela o momento certo para a coisa certa. E assim em tempos de descrença, temos AMIGOS E AMIGAS, que muitas dizemos que cabem na palma de nossa mão... mas as vezes nos enganamos com esta quantidade e ou qualidade... Kairós simboliza o instante singular que guarda a melhor oportunidade, ele é o momento crítico para agir, a ocasião certa, a estação apropriada.Mas Kairós não reflete o passado, ou antecede o futuro. Kairós é o melhor instante no presente. Ele representa um tempo não absoluto, contínuo ou linear, ao contrário do que propõe a concepção newtoniana refletida no tempo cronológico, socialmente estabelecido (ZERUBAVEL, 1982). A dimensão de experiência temporal representada por Kairós instala-se em consonância à totalidade dos elementos individuais envolvidos e à dinâmica de suas relações. Assim é o processo de madurar na amizade e em sua consistência. O que conta ???
...e então valho-me do poema de Vinicius de Morais para com o coração feliz expressar a todos os meus amigos e amigas que me amam e a quem eu amo também que meu calendário do dia do amigo é sem tempo... é todo tempo... é sempre tempo:
"Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge no outro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.
É bom sentá-lo novamente ao lado
Com os olhos que contém o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.
Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.
O amigo, um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minh'alma multiplica ..."
Abração
Mussy


Era uma vez uma joaninha que nasceu sem bolinhas...
Por isso ela era diferente. As outras joaninhas não davam “bola” pra ela. Cada qual com suas bolinhas viviam dizendo que ela não era uma joaninha.
A joaninha ficava triste, pensando nas bolinhas e no que poderia fazer... Ou quem sabe, ir embora para longe, muito longe dali?
Ela pensava e pensava... Sabia que não seriam as bolinhas que iriam dizer se ela era uma joaninha verdadeira ou não. Mas outras joaninhas não pensavam...
Então ela resolveu não dar mais importância ao que as outras joaninhas pensavam e continuou sua vida de joaninha sem bolinhas...
Até que um dia, as joaninhas reunidas resolveram expulsar do jardim àquela que para elas não era uma joaninha!
Sabendo que era uma autêntica joaninha, mesmo sem bolinhas, teve uma idéia... Contou tudo para o besouro preto, que é parente distante das joaninhas. Decidiram ir a casa do pássaro pintor e contaram a ele o que estava acontecendo.
O pássaro pintor, então, teve uma idéia. Pintou com capricho o besouro, que ficou parecendo uma joaninha de verdade...
E lá se foram os dois para o jardim: a joaninha sem bolinhas e o besouro disfarçado.
No jardim ninguém percebeu a diferença. E com festa receberam a nova joaninha.
A joaninha sem bolinhas, que tudo assistia de cima de uma folha, pediu um minuto de atenção e limpando a pintura que disfarçava o besouro preto perguntou:
- Quem é a verdadeira joaninha?”





Proponho que, tal como o besouro e o pássaro pintor, nós façamos alianças com as crianças/joaninhas sem bolinhas, para que ela tenha espaço para ser e espaço para provar que sendo uma “verdadeira” criança/joaninha (com ou sem bolinhas) é sempre capaz de aprender... E de ensinar.

domingo, julho 12

Autismo. O que é?

Um nome por demais conhecido o autismo tem causado certa polêmica entre os estudiosos e a medicina em geral. O autismo não deixa de ser um fenômeno patológico caracterizado pelo desligamento da realidade exterior e criação mental de um mundo autônomo. O cérebro humano com suas nuanças tem funções definidas em cada lado, tanto no direito como no esquerdo. Do lado direito vem às sensações, a imaginação, o ímpeto, presente e futuro, fantasia, conhecimento das funções dos objetos, as crenças entre outros. Já o lado esquerdo tem por finalidade fazer com que o ser humano conheça a lógica, os fatos, o passado e o presente, a matemática e a ciência, a linguagem, o saber, a realidade, a prática, as estratégias e o reconhecimento dos objetos e algo mais. Vejam como e cérebro humano exerce papel de um grande e potente computador, onde ele armazena todas as atividades da vida e do cotidiano do ser. Diríamos que alguns arquivos ficam ocultos e aqueles acontecimentos que se passam na memória RAM e não são salvos na Rom se delineiam no esquecimento. Um grande estudioso no assunto Hermínio C. Miranda afirma o seguinte: “O mundo fechado do autismo continua sendo um enigma para a ciência. Variadas e conflitantes abordagens, predominantemente genéticas, não chegam a resultados conclusivos”. O estudo de Hermínio Correa de Miranda distingue-se por seguir uma proposta científica inteiramente original: a de que o ser humano é um espírito imortal, que preexiste à sua atual existência, considerando também as conseqüências das atitudes de vidas anteriores. Além de familiares e especialistas, o autismo merece uma atenção toda especial dos pais e profissionais da medicina logo nos primeiros anos de vida do autista, pois se a síndrome não for tratada com determinada urgência pode o ser de tornar dependente do autismo para o resto da vida. Vejam que não é fácil conviver com pessoas que tem essa doença. “O autismo é, certamente, a resultante de uma pane em algum ponto do sistema, um ‘defeito’ não casual, mas ao contrário causal disparado por um mecanismo de origem cármica”.
Alguns médicos, entre eles o Dr. Leo Kanner disse em 1943, que o autista tem incapacidade de relacionar-se ou interagir com as pessoas, desde o início da vida; incapacidade de comunicar-se com os outros por meio da linguagem; obsessiva postura em manter a mesmice e resistir à mudança; interesse por objetos e não por pessoas e evidência ocasional de um bom potencial de inteligência. Alguns detalhes que estão presentes nos autistas: São crianças excessivamente ansiosas sem aparente razão; sem consciência de sua própria identidade, geralmente ocupadas com um objeto em particular, hábitos de rodopiar, de caminhar na ponta dos pés, rigidez corporal, por longos períodos de tempo, resistência à mudança; deficiência de linguagem compatível para a idade, ou que não fala de todo, e, finalmente, a que parece seriamente retardada, mas demonstra, ocasionalmente, surtos de inteligência normal e até excepcional. Se alguém tem crianças com essas características é de bom alvitre que se procure um médico e que esse médico seja especialista no assunto. Outros aspectos foram observados em autistas como: hábito de balançar o corpo e bater a cabeça nas portas, paredes e móveis; interesse obsessivo por alguns brinquedos, brincadeiras repetitivas, insistência em ser deixado só, falto de cooperação ou de antecipação de movimentos quando apanhado por um adulto, como estender os braços. A má formação do lado esquerdo do cérebro pode está aliada a esses problemas. É um assunto polêmico que merece ser bem estudado sem abandonar a parte espiritual, os especialistas ou estudiosos devem ter bastante cuidado para não diagnosticar a síndrome como outros problemas psicológicos. A incapacidade de desenvolver relações sociais, déficit no desenvolvimento da linguagem, respostas anormais ao meio ambiente, em particular os problemas começam a aparecer antes da idade de trinta meses. Não confundir autismo com esquizofrenia infantil. A doença acomete de dois a cinco indivíduos a cada dez mil pessoas. Somente para ilustrar essa matéria queríamos afirmar que o chamado cérebro artístico está no lado direito do cérebro é a parte "artística", relacionando-se com o entendimento e a interpretação do mundo que nos cerca - mas, geralmente, não com a fala. O lado direito do cérebro examina as situações e problemas em geral e dá uma resposta ou solução imediata, bem diferente da maneira como funciona o lado esquerdo, seguindo uma série de passos cuidadosos e deliberados. O cérebro "artístico" está ligado à observação do ambiente que nos rodeia.
Ele pode, por exemplo, identificar um rosto familiar em uma multidão; mas é o lado esquerdo que vai buscar o nome da pessoa em nossa memória. As habilidades musicais também dependem do lado direito do cérebro, da mesma maneira que as habilidades visuais, como a pintura. O Doutor Prof. Dr. Francisco B. Assumpção Jr. afirma que algumas doenças estão relacionadas com o autismo. Infecções pré-natais - rubéola congênita, sífilis congênita, toxoplasmose, citomegaloviroses; hipóxia neonatal (deficiência de oxigênio no cérebro durante o parto); infecções pós-natais - herpes simplex; déficits sensoriais - dificuldade visual (degeneração de retina) ou diminuição da audição (hipoacusia) intensa; espasmos infantis - Síndrome de West; doenças degenerativas - Doença de Tay-Sachs; doenças gênicas - fenilcetonúria, esclerose tuberosa, neurofibromatose, Síndromes de Cornélia de Lange, Willians, Moebius, Mucopolissacaridoses, Zunich; alterações cromossômicas - Síndrome de Down ou Síndrome do X frágil (a mais importante das doenças genéticas associadas ao autismo), bem como alterações estruturais expressas por deleções, translocações, cromossomas em anel e outras e mais intoxicações diversas. Nesse écran a futura mamãe assume um papel preponderante para s saúde de seu futuro bebê. Mãezinha cuidada a vida é tão importante, visto que a falta de zelo e cuidado na gestação gerarão muitos conflitos e podem comprometer a saúde dos dois. ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI-FGF E ALOMERCE

Reflexão

  Hoje, buscando mais informações sobre o mundo do autismo, me deparei com essa frase que me chamou muito à atenção e me fez confiar ainda mais que estamos no caminho certo. Que o autismo é apenas um detalhe na vida do meu filho e que ele pode viver tão feliz e amado quanto qualquer outra criança e que também pode ser um adulto útil a sociedade. Basta que confiemos, batalhemos, ensinemos e ele aprenderá.
"Embora me seja difícil comunicar-me ou compreender as sutilezas sociais, na realidade, tenho algumas vantagens em comparação com os que tu chamas de ‘normais’. Tenho dificuldade em me comunicar, mas não costumo enganar. (...) Minha vida como autista pode ser tão feliz e satisfatória como a tua vida ‘normal’. Nessas vidas, podemos vir a nos encontrar e a partilhar muitas experiências."Angel Rivière Gómez

VITÓRIA

Esta semana estou muito mais feliz. Uma outra batalha foi vencida. A muito venho tentando ensinar Segundo que se deve fazer cocô no vaso sanitário e para minha alegria ele descobriu o prazer de sentar no vaso, fazer cocô e depois dá descarga(não se limpa sozinho. Já era pedir demais! Preciso está atenta para ele não vestir a roupa e correr sem esperar que eu o limpe kkkkkkk, mas essa já será uma outra etapa).
Abraços

sexta-feira, julho 10

Sugestões para ensinar a todos os alunos da classe

Convença-se que todos os seus alunos sabem alguma coisa e que todos podem aprender, cada um de acordo com seu jeito e com seu tempo próprios;Tenha altas expectativas em relação a todos os seus alunos, pois eles só aprenderão se você acreditar que isso é possível;Renuncie à idéia de que somente você tem algo a ensinar na classe e acredite que seu aluno também tem seu próprio saber;Dê oportunidades para o aluno aprender a partir do que sabe e chegar até onde é capaz de progredir. Afinal, os alunos aprendem mais quando tiram suas dúvidas, superam incertezas e satisfazem curiosidade; Promova o diálogo entre os alunos e suas diferentes características étnicas, religiosas, de gênero, de condição física;Faça com que todos interajam e construam ativamente conceitos, valores, atitudes, em vez de priorizar o ensino expositivo em sua sala de aula.Fonte:PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO, O Acesso de Pessoas com Deficiência às Classes e Escolas Comuns da Rede Regular de Ensino

quinta-feira, julho 9

Como ensinar uma criança com TDA/H?


Educar é uma tarefa que exige muita paciência, dedicação, afeto e treinamento. A educação de um portador de TDA/H pode exigir uma tolerância redobrada e muita atenção, uma vez que é um processo onde é necessário, além de passar o conhecimento, estabelecer incansavelmente regras e limites.

É importante que o educador conheça o universo do TDA/H e suas implicações reconheça os seus próprios limites para lidar com o problema e não tenha constrangimento em pedir ajuda quando necessária.

Um trabalho eficaz de educação para os portadores deve ser multidisciplinar, ou seja, é preciso que todos (pai, mãe, tios, irmãos, avós, empregada, etc) sejam conhecedores da situação e estejam unidos nesta tarefa. Na escola, toda a equipe de profissionais deve estar adequadamente treinada para dar o suporte necessário, estabelecendo um contato estreito e regular com a família e o médico da criança.

Existem algumas dicas de grande valia para serem utilizadas com os portadores na hora da aprendizagem:

• A preparação do ambiente é muito importante para receber bem um portador de TDA/H. Deve-se evitar um lugar barulhento, com ruídos freqüentes ou intermitentes e passagem ou entra e sai de várias pessoas. O lugar deve ser arejado e o mais estimulante possível de acordo com o objetivo do momento. Para introduzir um comentário novo, deve-se utilizar materiais didáticos variados em termos de cores, formas e tamanhos para que a criança possa manuseá-los.
• Para a realização do “para casa”, o ambiente deve ter o mínimo de estímulos que possam desviar sua atenção. Evite objetos cortantes ou que possam se quebrar facilmente. Quebrar ou estragar objetos é muito comum entre os portadores, e eles tendem a se sentir culpados ao fazê-lo, experimentando angústia e estresse após a ocorrência do fato.
• Para estabelecer um bom vínculo, olhe nos olhos e ouça o que o portador tem a dizer; isto inclui seus objetivos, suas expectativas e medos.
• Considerando que o planejamento é uma tarefa muito complicada para o portador, auxilie-o pré-estabelecendo regras, objetivos, tempos e limites. Estes últimos devem ser colocados de maneira firme, porém sem o intuito de punir.
• Repita várias vezes as regras de forma clara e objetiva, sem um tom de cobrança. Peça-o para repetir o que entendeu sobre o que acabou de ouvir.
• Evite pressioná-lo com relação ao tempo com frases do tipo: “Ande rápido, seu tempo está se esgotando” ou “Acelere e pare de fazer hora”.
• Monitorize o tempo de forma que sempre fiquem alguns minutos a mais para qualquer imprevisto. Sinalize sempre quando estiver faltando alguns minutos para acabar a tarefa proposta.
• Dê intervalos de 5 minutos a cada 40 minutos de trabalho para que o portador possa movimentar-se, beber água, ir ao banheiro, etc.
• Avise sobre possíveis mudanças com antecedência, para que ele se prepare e ajude-o a monitorar os imprevistos, pois estes são vividos com muito sofrimento pelo portador.
• Acompanhe a execução das tarefas, que devem ser realizadas por etapas e em passos pequenos. O conteúdo deve ser introduzido em pequenas quantidades, para ser lido e trabalhado.
• O uso de marcadores de texto, gráficos, mapas, figuras, jogos, músicas, listas de lembretes e softwares interativos têm um papel importante no processo de aprendizagem do portador de TDA/H.
• Frequentemente, elogie os avanços no processo de aprendizagem, encorajando-o a continuar e reforçando positivamente com pequenos “brindes” ou “surpresinhas “.
• Estimule a participação do portador em tarefas variadas, pedindo que faça pequenos favores como dar um recado ou buscar um objeto em outro lugar. Depois, estimule perguntas que facilitam a auto-observação do tipo: “o que acabei de fazer ?” ou “o que fiz hoje de legal ?” ou ainda peça para descrever uma cena, recontar histórias, relatar o que fez em um final de semana.
• Sempre que possível, use o lúdico e a novidade. “Contar segredos no pé do ouvido” sempre aguça a curiosidade e garante a atenção do portador.
• Para que haja uma boa memorização, use dicas, macetes, lembretes, despertador e músicas cujas letras referem-se ao tema da aprendizagem.
• Quando perceber o portador se dispensando, aproxime-se dele, toque-o nos ombros, olhe-o nos olhos, altere seu tom de voz variando entre o grave e o agudo, mude sua expressão facial e gestos.
• Evite corrigir a falta de atenção do portador em voz alta diante de outras pessoas, pois ele poderá se sentir humilhado e reagir de forma mais distante ou mesmo agressiva.
• Na sala de aula, o portador deve senta-se próximo à professora, para que esta possa destinar-se a atenção necessária sem causar-lhe constrangimento ou despertar ciúmes no restante da turma.
• Evite colocar o portador perto de janelas ou portas, pois ele pode ser facilmente distraído por estímulos externos.
• Incentivos e reforços positivos do tipo: uma piscadinha, um tapinha nas costas ou um sinal de “jóia” com a mão, são sempre bem vindos e aumentam a motivação para continuar as atividades.
• Incentive-o a praticar esportes individuais ou coletivos para que entre em contato com novas regras, gaste bastante energia e possa se integrar com outras pessoas.

É IMPORTANTE LEMBRAR que os portadores de TDA/H são normalmente pessoas muito criativas e inteligentes. Quando cuidados por pessoas capacitadas, certamente se tornarão indivíduos mais realizados e felizes.

(FONTE: Distraído e a 1000 por hora, de Simone Sena e Orestes Neto)

domingo, julho 5

Workshop do programa Son-rise


Aconteceu nos dias 20 e 21 de junho de 2009, em Florianópolis, o workshop de introdução do programa Son-rise ( uma abordagem para o tratamento do autismo), ministrado por Mariana Tolezani, onde tive a honra de poder participar com o apoio da minha amiga Giulianne ramalho.
O son-rise foi criado por pais de uma criança autista e que hoje está totalmente recuperado e ministra aulas para outros pais de autista, mostrando que essa abordagem visa auxiliar o início da sua maravilhosa viagem junto aos filhos. Ao brincar com a criança com autismo de uma maneira em que a ela participe mentalmente, emocionalmente e fisicamente, um novo crescimento cerebral estará sendo solidificado.
Todo crescimento neurológico é solidificado através de ações. Decidir adotar uma nova perspectiva é uma coisa, investir em ações físicas derivadas desta perspectiva é que a tornará uma realidade para você..
A filosofia do Son-rise é CELEBRAR sempre e para iniciar esse contato com o mundo do autista, passe 30 minutos por dia 1:1 (um a um) com sua criança, "Junte-se” à criança, concentre-se no contato visual e o ame muito, pois será através desse elo que voc~es se encontrarão.
Para quer se interessar pelo método, busque o site www.insperadospeloautismo.com.br
Abraços fraternos a todos

quinta-feira, julho 2

COMO É SER IRMÃ DE AUTISTA

No começo tive ciúmes porque compravam tudo para ele, ele e ele... Me davam pouca atenção, organizaram uma salinha só para ele, tinha um monte de jogos.
Eu também não gostava porque ele não brincava comigo, tentava fazer brincadeiras de abraçar e nada.
Com o tempo, meu irmão evoluiu e melhorou a fala. Segundo hoje já brinca comigo de correr, fazer cócegas, pular na cama e nos pneus, já bamboleia a corda para eu pular.
É preciso conquistá-lo para brincar com ele.
Bem, até hoje, às vezes, tenho um pouco de ciúmes. Só que tenho até sorte de ter um irmãozinho autista. Os irmãos brigam muito uns com os outros, mas Segundo é amoroso, ele não bate!
Ele aprendeu a falar a palavra "abre" comigo!
Não fiquem tristes, pois um autista é como qualquer pessoa, dê um tempo para ele que ele irá te aceitar. Não desistam!
Beijos!
Bruna Araújo Candido - (9 anos e 10 meses)

segunda-feira, junho 29

Como fazer uma criança feliz verdadeiramente

Esteja lá. Diga sim sempre que possível. Deixe que eles batam tampas e panelas. Se eles são mau humorados, coloque-os na água. Se não são amáveis, ame você mesma. Perceba a importância de ser uma criança. Vá ao cinema de pijamas. Leia livro em voz alta e com prazer. Inventem prazeres juntos. Lembre-se como eles são pequenos. Dê muitas gargalhadas. Surpreenda-os. Diga não quando necessário. Ensine sentimentos. Cultive a criança que existe dentro de você. Aprenda como se tornar melhores pais. Abracem árvores juntos. Torne o amor seguro. Faça um bolo e coma-o sem as mãos. Saia a procura de elefantes e beije-os. Planeje a construção de um foguete. Imagine que você é mágico. Faça muitas cabanas com cobertores. Deixe seu anjo voar. Revele seus próprios sonhos. Procure pelo positivo. Mantenha o brilho no olhar. Mande cartas para Deus. Encoraje besteiras. Plante doces no seu jardim. Se abra. Pare de gritar. Expresse seu amor. Muito. Fale com gentileza. Pinte os seus sapatos. Manuseie com carinho. Crianças são extraordinárias.

Abraços. Vilma Candido

segunda-feira, junho 15

Dia da conscientização sobre o autismo

2 de Abril de 2009
Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo
Hoje, 2 de abril, é o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo! Quem me lembrou foi Simone Zelner, mãe do Gabriel. Em seu blog Meu Anjinho Gabriel e no desabafo Autismo não é sinônimo de frieza ou falta de carinho, ela compartilha diversas informações sobre o autismo e sua experiência como mãe de um garotinho, de 7 anos, com autismo.

A primeira vez que escutei a palavra autismo foi quando minha tia me deu o livro Dibs, em busca de si mesmo, que conta a história de um garotinho com autismo, dado como retardado mental pelos pais que não conseguem compreender o mundo do filho. Dibs não tem problemas mentais, pelo contrário, ele tem autismo com aspectos de genialidade que vem à tona com a ajuda de uma psicóloga.

O livro é ótimo e mostra como a compreensão, paciência e persistência fazem diferença na vida de uma criança com autismo. É bom ressaltar que nem todas as pessoas com autismo são gênios, como retratado no livro e no filme Rain Man, com Dustin Hoffman e Tom Cruise. Mas gênios ou não, o "remédio" é sempre o mesmo: amor, compreensão, dedicação, paciência e persistência, como mostra Simone e muitas outras mães que acreditam em seus filhos.

Vacina e Autismo

Aqui nos Estados Unidos, há um intenso debate sobre a vacina tríplice (sarampo, caxumba e rubéola), se ela causa ou não o autismo. Algumas mães, inclusive a atriz Jenny McCarthy e ator Jim Carrey, acreditam que sim; outras, endossadas por pediatras e outros profissionais da saúde, defendem que não. Eu, que tenho bebê na fase de tomar vacinas, discuti o assunto com a pediatra que me garantiu que não há relação alguma entre a vacina e o autismo. Inclusive, que essa discussão está levando muitos pais a não vacinarem seus filhos, aumentando o número de casos de meningite e sarampo em países onde essas doenças estava praticamente extintas! Se tiver dúvidas, converse com sua pediatra!
 
Copyright © Mais que um Segundo feliz
Blogger Theme by BloggerThemes